Almanaque No 15

[
ago
30

O escrito que não pode ser lido

O que não pode ser lido em uma análise? O que não pode ser decifrado? O que, no discurso, produz efeito de escrita? A partir dessas questões, o presente trabalho tenta discutir a função do escrito ou, mais especificamente, se pergunta se existe algo que não se pode ler em uma análise, algo que realmente seja ilegível.

[
ago
30

Sobre alucinações e falas impostas

Este artigo pretende explorar as possíveis relações entre alucinações e falas impostas. O autor apresenta uma breve definição desses fenômenos e procura estabelecer pontos de convergência e divergência entre eles.

[
ago
30

Da medicalização e da judicialização: um comentário

A autora comenta a incidência dos discursos médico e jurídico no campo da educação. Discute a apropriação de categorias diagnósticas por instituições e profissionais da educação, bem como sua apreensão equivocada do Estatuto da Criança e do Adolescente e seus efeitos segregativos.

[
ago
30

Síndrome de Asperger e psicose infantil

O artigo parte de uma questão diagnóstica surgida na discussão de uma Apresentação de Pacientes realizada com uma criança e se dedica a examiná-la diferencialmente. Percorre as semelhanças e diferenças entre o diagnóstico nosológico de síndrome de Asperger e autismo infantil de Kanner para, em seguida, investigar esses construtos psiquiátricos sob a luz da psicanálise de orientação lacaniana. Por vê-los reconhecidos como pertencentes ao campo do autismo, na concepção psicanalítica, retoma o caso clínico inicial e procura diferenciá-lo quanto à hipótese diagnóstica de síndrome de Asperger, contrapondo-a ao diagnóstico psicanalítico de psicose. Conclui por considerar que alguns diagnósticos psiquiátricos atuais de síndrome de Asperger abarcam casos de psicose na criança, não mais contemplados pelos manuais psiquiátricos atuais.

[
ago
30

A imagem e o imaginário: quando o sujeito é excluído do imaginário materno e permanece sem a ajuda de nenhuma imagem estabelecida

O texto aborda o tema da imagem estruturante do corpo da criança e do imaginário materno através dos fragmentos clínicos de um caso de autismo. Discute a questão do autista sem a ajuda de uma imagem estabelecida.

[
ago
30

Imaginário e psicose

Este texto visa a introduzir a categoria lacaniana do Imaginário a partir de referências bibliográficas básicas e levando em consideração sua utilização para o tratamento psicanalítico das psicoses.

[
ago
30

Invenção na esquizofrenia

As autoras discutem, a partir do caso de uma criança psicótica, os impasses ligados ao corpo na esquizofrenia e a peculiar solução de uma criança para inventar seu corpo.

[
ago
30

Almanaque on-line entrevista

Almanaque on-line entrevista Rômulo Ferreira da Silva, Diretor do VII Encontro Americano de Psicanálise de Orientação Lacaniana – Enapol, a se realizar de 4 a 6 de setembro de 2015, em São Paulo.

[
ago
30

As imagens na clínica e nas instituições

Vivemos em um momento de proliferação e consumo das imagens que se consolida na disseminação da crença de que todo o real pode e deve ser visto. A investigação clínica indica a função das imagens para cada ser falante revelando como cada um pode resistir e/ou fazer uso dessa oferta.

[
ago
30

A homossexualidade feminina no plural

A homossexualidade feminina não corresponde a uma estrutura única. Seja novo sintoma histérico, em que o homem “testa de ferro” tornou-se um desvio inútil, ou escolha decidida, a homossexualidade é uma resposta, via modo de gozo, à falta-a-ser do sujeito. Resta uma terceira via a ser investigada clinicamente: pelo viés do que Lacan chama do “não-todo”.

Almanaque Online © 2006-2018