Almanaque No 07

Editorial

Paula Pimenta

Almanaque On-line, Ano 4 – no 7, traz em suas rubricas textos produzidos em decorrência dos trabalhos do 2º semestre de 2010, no âmbito do IPSM-MG, bem como outros que se propõem orientadores dos temas a serem trabalhados no 1º semestre de 2011.

O IX Congresso dos membros da EBP, que acontecerá em abril de 2011, na cidade de Tiradentes, terá seus trabalhos se dedicando à discussão sobre Os limites do simbólico na experiência psicanalítica hoje. A seguir, em junho, terá lugar o V ENAPOL, cujo título — A saúde para todos não sem a loucura de cada um — orientou o recorte temático, proposto pela Seção Clínica do IPSM-MG, para nossos trabalhos do 1º semestre de 2011: A psicanálise e a loucura deslocalizada.

Iniciamos o Almanaque On-line no 7 com a tradução do texto de nossa colega da EOL, Silvia Ons, que tece considerações sobre o simbólico no século XXI. O título de seu texto remete-nos diretamente ao do VIII Congresso da Associação Mundial de Psicanálise, A ordem simbólica no século XXI. Não é mais o que era. Que consequências para a cura?, a ocorrer em abril de 2012, em Buenos Aires, não deixando, contudo, de contemplar também nosso IX Congresso da EBP. Confira-o em Trilhamento.

Incursão traz o texto de Lucíola Macedo, que discorre sobre o que pode dizer a psicanálise a respeito do dispositivo jurídico do Depoimento sem Dano, uma vez que a procura de uma “verdade real” por meio das lembranças do sujeito agredido vai de encontro à concepção psicanalítica da verdade como tendo uma estrutura de ficção. Henri Kaufmanner, por sua vez, também se remete ao tema da verdade, mas para se referir ao desamparo atual dos sujeitos diante da inexistência do Outro regulador, que modulava verdade e mentira. Tal desamparo traz como consequência a busca de uma moral como tentativa de controlar o real, na qual se sustenta o imperativo da abstinência, no mundo moderno.

A Entrevista deste Almanaque On-line no 7 foi realizada com o Diretor Executivo pela EBP do V ENAPOL, nosso colega do Rio de Janeiro, Marcus André Vieira, e apresenta o intrigante título —Safar-se com a loucura —, em uma referência direta ao cerne da proposta temática do V ENAPOL.

Encontros se dedicou ao aprofundamento do tema do declínio do simbólico nos dias atuais, trazendo a discussão de seus efeitos sobre a criança. Os textos de Maria Rita Guimarães e de Suzana Barroso, apresentados na 4ª Conversação Clínica do IPSM-MG, em outubro de 2010, elucidam-nos sobre a “criança generalizada” em sua tendente objetalização, em que pesam a cumplicidade do discurso da ciência e do capitalismo, por meio de suas políticas públicas.

Em De uma nova geração, Renata Lucindo Mendonça permite-se construir as interrelações existentes entre a castração, com sua finitude temporal, e o inconsciente, atemporal. Para tanto, relaciona a temporalidade com as estruturas clínicas, considerando seu manejo na condução da análise de cada uma.

Desejamos a todos uma proveitosa leitura!

Almanaque Online © 2006-2018