Histeria

[
mar
05

O amor pelo pai na histeria

Quem, como eu, invoca os mais maléficos e maldomados demônios que habitam o peito humano, com eles travando combate, deve estar preparado para não sair ileso desta luta. (Freud, 1905, Caso Dora, p. 75)   Em 1977, Lacan finaliza Considerações

[
jul
31

Histeria: do matema da fantasia ao discurso

A histeria é um modo particular do sujeito subjetivar a falta imposta pela castração. No presente artigo, destaca-se dois momentos distintos ao longo da obra de Lacan em que ele irá trabalhar a histeria: nos anos 50, quando o matema da fantasia histérica é enunciado e em 1969/1970, no Seminário 17, em que a histeria é tomada como discurso. Tendo como referência o caso Dora, de Freud, busca-se observar, através dos matemas da fantasia e do discurso, as estratégias fundamentais de defesa do sujeito histérico.

[
mar
06

“Dora” e as “maridas”: duas tentativas de abordar o feminino a partir do amor ao pai

Em 1901, Dora, uma histérica, sinalizou para Freud que ela queria saber sobre o seu sexo. Hoje, as ”maridas” formulam a mesma questão – o que é uma mulher? Entre Dora e as ”maridas”, mais de um século se passou. O mundo, nesse espaço de tempo, mudou para a humanidade de forma geral, mas, sobretudo, para as mulheres. Esse trabalho pretende focar a participação do pai na pergunta de Dora sobre o feminino e como a atuação das “maridas” pode estar articulada à queda da figura paterna, em nossos dias.

[
set
15

A incidência do narcisismo na esquizofrenia e na histeria

No texto “Sobre o narcisismo: uma introdução” (1914/1974), Freud estabelece uma correlação entre esquizofrenia e histeria, ao afirmar que, na tentativa de restauração, o retorno da libido aos objetos, na esquizofrenia, se dá como numa histeria. Sabemos que há diferenças estruturais entre essas duas patologias mentais. Se, na esquizofrenia, os fenômenos corporais atestam que o corpo não passou de sua condição real para um corpo erógeno, na histeria, na constituição imaginária de um corpo dito feminino, há, também, um impossível de dizer, que é denunciado num ponto de falha na constituição de i(a).

[
set
15

O sonho de ser a mais bela

A partir do sonho de uma mulher, o de ser a mais bela, a autora desenvolve os diferentes aspectos da mascarada, para estabelecer a seguir um laço com a mulher sonhada por um homem.

[
ago
30

A homossexualidade feminina no plural

A homossexualidade feminina não corresponde a uma estrutura única. Seja novo sintoma histérico, em que o homem “testa de ferro” tornou-se um desvio inútil, ou escolha decidida, a homossexualidade é uma resposta, via modo de gozo, à falta-a-ser do sujeito. Resta uma terceira via a ser investigada clinicamente: pelo viés do que Lacan chama do “não-todo”.

Almanaque Online © 2006-2018