Instituição

[
jul
31

Sobre a Saúde Mental: que instituição para os adolescentes?

Este texto é um extrato da abertura dos trabalhos do NIPS do IPSMMG no ano de 2016. Ocupa-se em pensar algumas particularidades da adolescência a partir de Freud e com a leitura contemporânea de Miller. Focalizando principalmente a invasão do corpo por um gozo que não se acomoda mais às soluções da infância, problematiza os impasses que a vida contemporânea acrescenta ao desligamento do Outro daí decorrente, interrogando como pode nesse contexto, uma instituição que acolhe adolescentes, operar.

[
set
27

A pragmática do laço social em um centro de atenção à toxicomania

O texto interroga como o toxicômano faz laço social, uma vez que na toxicomania a segregação e o gozo autístico se apresentam. Traz também norteadores para o tratamento do toxicômano em instituições.

[
set
15

Função tóxica na clínica das psicoses

Este trabalho investiga a função tóxica na clínica das psicoses e o modo como poderíamos pensar a direção do tratamento das toxicomanias e alcoolismo nessa clínica. Partimos da ideia de que o uso de uma substância tem, para cada sujeito, uma função específica. Nosso objetivo foi avançar um pouco mais no entendimento sobre o modo como o psicótico se enlaça à droga, percurso que nos possibilitou também uma investigação acerca da maneira como poderia operar uma instituição orientada pela psicanálise.

[
set
15

Função tóxica na clínica da psicose: remédio e/ou ruína?

Durante o primeiro semestre de 2013, realizamos, no Freud Cidadão, nosso IV Ateliê de Pesquisa Psicanalítica. As atividades desse Ateliê estavam concentradas em investigar as peculiaridades da clínica com sujeitos psicóticos que fazem uso de alguma substância tóxica. Partimos da ideia de que o uso de uma substância tem, para cada sujeito, uma função específica, podendo se situar ao lado do remédio e/ou da ruína. Interessava-nos investigar como uma instituição, orientada pela psicanálise e pelas invenções ancoradas na singularidade, poderia operar e oferecer seus dispositivos no tratamento de um mal-estar insuportável que lança os sujeitos aos usos excessivos.

[
set
15

Incidências da Psicanálise nos dispositivos públicos

A partir do comentário de um caso, o autor reflete sobre como a psicanálise se situa para operar frente a um vazio subjetivo, consequência de um trauma individual e social (a ditatura militar na Argentina) e nos alerta para o risco de prevalecer uma lógica do asilo e da proteção na assistência que algumas instituições oferecem ao sujeito, o que não possibilitaria uma mudança em sua posição subjetiva.

Almanaque Online © 2006-2018