Violência

[
ago
03

A queda do falocentrismo e os estatutos da violência

Cao Guimaraes

As transformações nos laços sociais, associadas à queda dos ideais e da crescente desvalorização do falo que ordenava a nossa civilização, têm nos colocado questões não só quanto aos desdobramentos conceituais da psicanálise, mas sobre a condução do tratamento analítico

[
mar
05

A violência no jovem: sintoma ou não?

Por ocasião da Jornada do Instituto da Criança[1], Jacques-Alain Miller perguntava-se se a violência na criança era um sintoma. Pois quem diz sintoma, em psicanálise fala, em termos freudianos, de deslocamento, de substituição de uma satisfação pulsional, o que, em

[
set
15

A toxicomania não é mais o que era

O mundo das toxicomanias, em 28 anos, aqui em Belo Horizonte, mudou. No Brasil mudou, no mundo mudou! Então, temos que pensar no fenômeno da toxicomania contemporânea, seu lugar, sua função, sem exclusão da singularidade de cada um dos consumidores.

[
set
15

Crianças à deriva: reflexões sobre a construção, o comentário de casos e a transmissão da psicanálise

O texto tece considerações em torno do que constitui o comentário e a construção dos casos nos quais o sintoma social da época, a violência, marca a vida de crianças e observa, no âmbito da psicanálise de orientação lacaniana, as particularidades trazidas por elas. Ainda apresenta a aposta em um tratamento conduzido pela via da transferência e do saber-fazer do analista com o sintoma de cada sujeito. O trabalho foi produzido com base nos casos apresentados no Núcleo de Psicanálise e Saúde Mental de Montes Claros e Ipatinga e usou como referência o ensino de Lacan e de escritos de analistas lacanianos.

Almanaque Online © 2006-2018